Derradeiro

Derradeiro
Foto: Petterson Farias

Hoje eu vou escrever sem pesar a mão na caneta
sem deixar a marca do meu desespero no papel
e não vai ter rasura de sentimentos em letras ilegíveis
muito menos solidões entrecortadas por rimas precárias
porque esse texto não é pra lamentar mais um enredo sem nexo
nem mesmo pra pregar na parede do tempo outra paixão abortada
por aquela minha ansiedade sufocante e tresloucada
é, sim, pra dizer que nas linhas desses meus últimos dias
não há resquícios deles e de mais ninguém
e que a poesia, depois de muito tempo, chegou ao fim

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s